Alambre Moscatel Roxo entre as novidades

A José Maria da Fonseca (JMF) apresentou à Imprensa, esta quinta-feira, na Quinta de Camarate, Azeitão, alguns dos vinhos de média e gama alta que chegarão ao mercado no início de 2016. Entre as novidades destaque para o Alambre Moscatel Roxo, baseado na colheita de 2010.

De cor âmbar, aromas a mel, fruto melado, alguns caramelizados, algum iodo e uma certa salinidade, este Alambre revela-se confitado e com citrino na boca, alguma toranja, doçura no ponto e uma acidez que ampara tudo. O preço é bastante competitivo, na ordem dos 10€. “É uma forma de valorizarmos a gama Alambre. Na gama Coleção Privada, o Moscatel Roxo usado será sempre mais antigo, no Alambre usaremos o mais jovem”, explicou António Maria Soares Franco, que realçou o facto de a JMF ser detentora de cerca de metade de toda a plantação da casta Moscatel Roxo na Península de Setúbal.

O almoço de apresentação de vinhos, liderado pelo enólogo Domingos Soares Franco e pelo presidente do Conselho de Administração da JMF, António Soares Franco, mostrou mais novidades: o Hexagon branco 2014 , de cor palha com alguns laivos esverdeados, de aromas reservados, algum mineral, acidez vincada, muita profundidade e final demorado (PVP: 25€); o DSF Coleção Privada Touriga Francesa 2013, um tinto com 5% de Moscatel Roxo, de cor retinta, alguns aromas florais, de nuance florestal, redondo na boca, de boa profundidade e a mostrar-se apto para uma evolução correta (PVP: 13€); o Quinta de Camarate tinto 2014, sem passagem por madeira, de cor rubi, com fruta vermelha, ainda jovem, em processo de integração, revelando taninos assertivos e final prolongado (PVP: 8€); e o Hexagon tinto 2009, de cor retinta, marcado pela notas do estágio em madeira, a que se junta um toque floral, fruta vermelha madura e algumas especiarias, taninos quase selvagens, com acidez e balsâmico marcantes, portentoso, de final enorme, a prometer muitas alegrias com o passar do tempo (40€).

 

JJS | WINE – A Essência do Vinho