Produz o “Rapariga da Quinta”, com destaque no Brasil

Um dos principais jornais brasileiros, “O Estado de São Paulo”, publicou recentemente um trabalho alargado sobre o enólogo e produtor português Luís Duarte. No caderno “Paladar” do “Estadão”, a jornalista Isabelle Moreira Lima lembra que em 30 anos de carreira, Luís Duarte já terá criado entre 300 a 400 rótulos.

No Alentejo, Luís Duarte conjuga três papéis: o de empresário (produz o próprio vinho desde 2003, o “Rapariga da Quinta”, com grande impacto no mercado brasileiros), o de consultor (criou vinhos para a Herdade da Malhadinha Nova, Quinta do Mouro, Júlio Bastos, entre outros) e o de funcionário (diretor-geral da Herdade dos Grous).

 

Natural do Douro, Luís Duarte formou-se, nos anos 80, na primeira turma de enologia do país, na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Desistiu de um estágio na França para concretizar uma primeira vindima no Alentejo. Hoje, acumula reconhecimentos, entre pares, pela crítica e pelos consumidores. Luís Duarte é hoje um dos maiores exportadores de vinho alentejano para o Brasil, sendo dos nomes portugueses do vinho mais conhecidos naquele país.

 

Redação | WINE - A Essência do Vinho