Vinhas e armazéns entre as principais perdas

A violência dos incêndios que nos últimos dias têm lavrado no país têm provocado prejuízos também no setor do vinho. Diferentes produtores e armazenistas têm partilhado, sobretudo através das redes sociais, imagens e relatos de perdas.

Temperaturas elevadas, ventos fortes, falta de limpeza das matas e atos criminosos têm sido um perigoso rastilho em diferentes regiões do país, com enfoque nas regiões do Dão, Bairrada, Península de Setúbal, Tejo, Ribatejo, Minho e Madeira. Vinhas, armazéns e edificados de apoio parcialmente destruídos têm sido as principais perdas reportadas e a ação de bombeiros e populares tem conseguido evitar males maiores.

O mês de agosto tem sido madrasto nesta matéria, a ponto de os incêndios serem o tema dominante. As previsões mais recentes apontam para uma acalmia das condições atmosféricas (temperaturas e ventos), mas persistem focos de incêndio ainda por dominar.

Fotos: ASPRESS / DN Madeira

JJS | WINE  - A Essência do Vinho