Não sendo um ano clássico tem a dupla vantagem de grandes vinhos a excelente preço. Os Vintage 2015 vão sendo apresentados e os resultados do que chega ao copo são manifestamente bons. 

A Symington Family Estates apresentou à imprensa os primeiros quatro exemplares engarrafados, numa prova que decorreu nas instalações da Cockburn’s, em V. N. de Gaia, nesta fase em processo de renovação para acolher novas valências relacionadas com o enoturismo, já  a partir de julho.

Nos últimos anos, a Symington apenas declarou Vintage em 2000, 2003, 2007 e 2011. De qualquer modo, como ficou demonstrado, o Vintage é uma categoria especial de Vinho do Porto que está novamente a valorizar-se nos mercados internacionais, pelo menos a crer no comportamento que tem obtido nos leilões de nomeada. O Dow’s 2011, tido como o melhor vinho do mundo pela “bíblia” “Wine Spectator”, em 2014, chega a ser negociado nesses leilões a valores em torno de 1.500€ por garrafa, o que representa uma valorização assinalável.

Em prova conduzida por Paul (presidente do grupo familiar) e Charles (enólogo) Symington, os quatro Vintage 2015 começaram por ter a curiosidade de assinalar os 20 anos desde a entrada na empresa de Charles, um dos mais prestigiados enólogos da atualidade, com 21 vinhos acima dos 91 pontos pela “Wine Spectator”. Mas, comecemos por caracterizar o ano.

O inverno foi frio e seco, a primavera foi bastante quente e seca, embora tenha trazido chuva em maio, nomeadamente em maio, na sub-região mais desértica, o Douro Superior. O verão confirmou a tendência de seca persistente e temperaturas elevadas, com as uvas a revelarem-se “em muito bom estado”. Charles realça, neste particular, o comportamento “excecional” da Touriga Franca, casta que requer muito calor e tempo seco para se expressar na plenitude. “Produziu algumas das melhores uvas de que tenho memória”, sublinha o enólogo.

A vindima arrancou no dia 8 de setembro, sem pressas, no Douro Superior. Nos dias 15 e 16 choveu, seguindo-se novamente o tempo seco, que permitiu que solo e planta absorvessem, na justa medida, a água. A apanha retomou-se no dia 21, com a fruta “em excelente estado”.

Os quatro Vintage agora apresentados mostram-se em grande nível. O Graham´s Porto Vintage The Stone Terraces 2015 (PVP, 175€), produzido pela segunda vez a partir de socalcos de xisto da Quinta dos Malvedos, revela uma elegância profunda, apesar de estar ainda um bebé, com larga margem de longevidade. O Dow´s Quinta da Senhora da Ribeira Porto Vintage 2015 (65€) resulta de uma fermentação conjunta de Touriga Franca e Sousão, a que se juntou um lagar de Touriga Nacional e também de Sousão. Apresenta uma estrutura portentosa, estando ainda  bem austero e revelando um final longuíssimo.

O Quinta do Vesúvio Porto Vintage 2015 (80€) combina a Touriga Nacional das cotas mais elevadas daquela que é uma das mais emblemáticas propriedades do Douro com parcelas de Touriga Franca, próximas do rio. Um pouco de Sousão apimenta o lote, que se traduz num vinho poderoso, onde a acidez suporta a doçura das notas de bombom de chocolate, terminando longo e num registo tentador. Por fim, o Cockburn´s Porto Vintage Bicentenário 2015 (80€), num lote onde predomina Touriga Franca (da Quinta dos Canais  e um pouco da Quinta do Vale Coelho), com doses de Touriga Nacional e pequenas percentagens de Sousão e Alicante Bouschet, mostra-se desde já muito elegante e equilibrado.

Estes quatro Vintage da Symington, aos quais em breve se juntarão outros três, estarão disponíveis no mercado a partir de setembro. 

NGVP / JJS | Revista de Vinhos