A conhecida região vinícola espanhola da Rioja tem uma nova adega, que nasce pelas mãos de dois conceituados nomes do mundo do vinho. O projeto Adegas Benjamin de Rothschild & Vega Sicilia vê a luz do dia ao fim de 15 anos, em resultado de um investimento de 22 milhões de euros. Juntando isto a 130 vinhas e a um total de 120 hectares de terreno, a promessa é a de elevar os vinhos de Macán a um outro patamar.

“Criar um novo vinho com êxito a partir do nada não se consegue sem tenacidade e determinação. Há 15 anos, pouca gente considerava um investimento de tão longo prazo, especialmente numa época de incertezas económicas. Isto foi um encorajamento para fazer ainda mais no sentido de conseguir excelência. Dizíamos então que este seria o vinho dos nossos filhos que, através das gerações futuras, iria adquirir padrões excecionais de qualidade. Hoje em dia não tenho dúvidas de que conseguiremos isso”, garante Ariane de Rothschild, presidente do grupo Edmond de Rothschild.

Aliar a inovação à herança das técnicas tradicionais é um dos principais objetivos, sendo que os progressos técnicos contemplados na nova adega permitem um cuidado redobrado no que diz respeito a questões como o transporte dos cachos e o controlo de temperaturas. A nova adega permitirá também aumentar a produção para um máximo de 320.000 garrafas. Na inauguração das Adegas Benjamin de Rothschild & Vega Sicilia marcaram presença mais de 400 convidados, entre os quais o rei D. Juan Carlos I.

Redação | Revista de Vinhos