Foi a terceira mulher de um projeto que continua a ser hoje escrito no feminino e que se tornou referência em Palmela. Ermelinda Freitas morreu na passada segunda-feira, aos 81 anos, na sua casa, em Fernando Pó.

A Casa Ermelinda Freitas foi criada em 1920 por Deonilde Freitas, continuada por Germana Freitas e teve em Ermelinda uma das principais impulsionadoras no que respeita à produção de vinhos de referência na região. Nos últimos anos, passou o testemunho da liderança à única filha (à esquerda, na foto), Leonor.

A casa começou a engarrafar com marca própria em 1997 e desde essa data tem conquistado já vários prémios e distinções, ao ponto de Leonor Freitas ter recebido, em 2009,a comenda da Ordem do Mérito Agrícola, pela Presidência da República.

À família e amigos próximos, a revista WINE-A Essência do Vinho expressa sentidas condolências pela morte de Ermelinda Freitas, na expetativa de o acontecimento em nada esmorecer o importante contributo que este projeto empresarial familiar tem dado à afirmação cada vez maior dos vinhos portugueses, incluindo no contexto internacional.

José João Santos | WINE-A Essência do Vinho