A Associação dos Comerciantes e Industriais de Bebidas Espirituosas e Vinhos (ACIBEV) remeteu ao ministro da Economia e à ministra da Agricultura uma carta onde alerta para os prejuízos causados no setor na sequência da greve dos trabalhadores portuários.

"Numa altura em que as empresas estão a ter elevados prejuízos, devido à quebra no consumo interno decorrente da situação financeira do país, a ACIBEV considera inaceitável que o setor portuário, não obstante toda a legitimidade que lhe assiste, esteja a por em causa o enorme esforço que o setor vitivinícola nacional está a fazer para aumentar as exportações, contribuindo para a recuperação económica de Portugal e a manutenção de inúmeros postos de trabalho", refere a associação, em comunicado enviado à imprensa.

A ACIBEV alerta para o facto de várias cargas terem sido desviadas dos portos de Lisboa e de Leixões, representando custos adicionais para as empresas, sublinha o perigo da rotura de stocks com respetiva penalizações nas vendas, a falta de cumprimentos dos prazos solicitados pelos clientes e a incerteza quanto às entregas das mercadorias.

Desde 17 de setembro que se iniciaram as paralisações dos profissionais do setor portuário em Portugal, primeiro com os pilotos de barra, seguindo-se-lhes os estivadores e os trabalhadores das administrações portuárias. Por enquanto não se conhece prazo para o final dos protestos.

Redação | WINE-A Essência do Vinho