Por Nuno Pires Guedes Vaz Pires, diretor executivo

Mais do que nunca defender o que é nosso, apenas e só nosso, pode valer de muito a um país como Portugal. Há histórias, pessoas, lugares e produtos que valem por si só ou que ajudam a elevar uma cidade, uma região, até mesmo um país. Essa autenticidade, que tantas vezes não tem preço, é um património ao qual nem sempre prestamos a devida atenção e não raras vezes o valorizamos após outros, que nos visitaram, o terem feito. O exemplo que aqui irei retratar é, felizmente, valorizado por muitos, ao longo de várias gerações e ao ponto de se ter tornado um dos ícones da gastronomia de uma cidade.

“Ir ao Porto e não saborear uma francesinha equivale a visitar Roma e não ver o papa”, escrevia J.A. Dias Lopes em crónica do caderno “Paladar”, do jornal “O Estado de São Paulo”, um dos mais importantes do Brasil. O cronista, também colaborador da WINE-A Essência do Vinho e diretor de redação da revista brasileira “Gosto”, fez um périplo por algumas das casas mais famosas de francesinha aquando da visita, nesse mesmo ano de 2011, ao evento “Essência do Vinho – Porto”. Pouco antes, a francesinha obtivera outro foco de atenção, com o sítio “AOL Travel” a considerá-la uma das 10 melhores sanduíches do mundo.

Mais do que uma sanduíche, um snack ou iguaria – como lhe quisermos chamar – a francesinha figura entre as criações que merecem ser cada vez mais valorizadas. São inconfundíveis e contribuem para lhes associarmos uma determinada experiência, num determinado lugar. E Portugal é rico, muito rico, nisso.

É, assim, com grande dose de entusiasmo e uma pitada de desafio que a EV-Essência do Vinho ultima a organização do evento “Francesinha na Baixa”. Ao longo de uma dezena de dias pretende-se que a iniciativa, em parceria com a Câmara Municipal do Porto, seja um pretexto acrescido para uma visita, um passeio ou paragem pela baixa da cidade, que tem vindo a burilar nos tempos mais recentes, graças à requalificação ali promovida e ao aumento do cosmopolitismo da oferta de vários produtos e serviços. Teremos restaurantes emblemáticos, demonstrações de cozinha ao vivo e muita animação, sendo certo que este será mais um foco de atenção junto do crescente número de turistas que têm visitado o Porto e a região Norte. Nesta edição, a WINE também destaca a francesinha, recordando a inspiração francesa que apimentou a ideia de Daniel David Silva, as evoluções e cambiantes que tem conhecido ao longo dos anos e sugerindo as casas que a tratam como ninguém. Porque se é bem-vindo o que é inovador e sofisticado é sagrado o que de mais tradicional e enraizado temos no país. Bon appétit!


WINE-A Essência do Vinho