Pelo terceiro ano consecutivo as exportações de vinhos portugueses aumentaram. De acordo com dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto da Vinha e do Vinho (IVV), em 2012 as exportações atingiram o valor de 704,8 milhões de euros (mais 7,1% do que em 2011), correspondente a um volume de 3,35 milhões de hectolitros (mais 8,8%).

Pela primeira vez é ultrapassada a fasquia dos 700 milhões de euros, ainda que nem tudo sejam boas notícias. O preço médio das exportações em 2012 foi de 2,11€/litro, o que significa uma quebra de 1,5%, “causado essencialmente pelo decréscimo do preço das expedições para o mercado comunitário”, explica o IVV, em comunicado. Os países da União Europeia (UE) continuam a ser o destino preferencial das exportações em volume, 55% do total, mas “com um peso significativo de vinhos expedidos na classe acima dos dois litros”. Em valor, os países terceiros já representam 42% (significavam 37% em 2010), com 297,7 milhões de euros exportados, dos quais 215 milhões de vinhos DOP, IGP, Porto e Madeira.

Entre os 10 principais mercados, metade situa-se fora da UE: Angola, Suíça, Estados Unidos, Canadá e Brasil. À exceção do Brasil todos encerram em 2012 com desempenhos positivos nos itens volume, valor e preço médio. Já no que respeita aos mercados da UE, a Alemanha registou o principal crescimento em volume (10,3%) e o segundo em valor (11,9%). O Reino Unido destacou-se pelo crescimento do preço médio (7,4%).

Redação | WINE - A Essência do Vinho