É reconhecido, entre outras características, pelos aromas tropicais, a tónica mineral, acidez assertiva e invulgar longevidade. É a casta rainha das plantações de vinhas do Alto Minho, em particular na sub-região Monção e Melgaço, mas tem sido plantado noutras regiões portuguesas, em Espanha e mesmo em países do chamado Novo Mundo do vinho. Reconhecidamente, o Alvarinho está na origem de grandes vinhos brancos e diferentes exemplares voltam a ser avaliados em Melgaço, na 2ª edição do “ALVARINHO INTERNATIONAL WINE CHALLENGE”, que decorrerá entre os próximos dias 27 a 29 deste mês de junho.

O júri internacional inclui conceituados jornalistas, críticos de vinhos e sommeliers de diferentes nacionalidades, tais como a britânica Susan Hulme (Master of Wine e wine educator), o suíço Thomas Vaterlaus (editor-chefe da edição helvética da revista “Vinum”), o alemão Peer Holm (sommelier), o brasileiro Alexandre Lalas (jornalista e crítico de vinhos), o espanhol Luis Paadín (sommelier) e os portugueses Rui Falcão (jornalista e crítico de vinhos) e Manuel Moreira (sommelier).

O júri avaliará os vinhos em competição nas manhãs de 28 e 29, no Solar do Vinho Alvarinho, no centro histórico de Melgaço. A par dessa avaliação, participará também num programa paralelo que lhe permitirá conhecer melhor a sub-região de Monção e Melgaço.

Os produtores interessados em sujeitar amostras a concurso deverão fazê-lo até ao próximo dia 19, podendo consultar o regulamento e ficha de inscrição disponíveis no endereço www.alvarinho-wine-challenge.com

Esta 2ª edição do “ALVARINHO INTERNACIONAL WINE CHALLENGE” é uma organização do Município de Melgaço, com produção da EV-Essência do Vinho e o Alto Patrocínio da OIV - Organização Internacional da Vinha e do Vinho.

Redação | WINE - A Essência do Vinho