Um ano e meio e oito milhões de investimento global depois, abre na cidade do Porto o Hotel da Música, a 12a unidade hoteleira do grupo Hoti Hotéis que, entre outros, detém alguns dos Meliá e Tryp existentes em Portugal. 

O hotel é uma unidade quatro estrelas, inspirada na temática da música, não só pela proximidade à Casa da Música como por se querer afirmar próximo da atividade cultural portuense. Nesse sentido firmou já protocolos de colaboração com o Museu de Serralves, o Teatro Nacional São João e o Sea Life. Além disso oferece, entre outros serviços, um auditório com uma plateia para cerca de uma centena de pessoas e que inclui duas pequenas salas de ensaio para músicos que as pretendam utilizar. O hotel, de quatro pisos, está integrado no projeto de requalificação do Mercado do Bom Sucesso. “Queremos fazer da Boavista um novo centro turístico no Porto”, afirmou Manuel Proença, presidente do conselho de administração dos Hoti Hoteis, no almoço com a Imprensa realizado esta quinta-feira, que serviu para assinalar a abertura do hotel.

O almoço decorreu no Bom Sucesso Gourmet, o restaurante do hotel que tem também acesso direto pelo edifício do mercado – aliás, todo o hotel localiza-se no interior do mercado, tendo uma porta exclusiva de acesso, junto ao terminal rodoviário (entrada Norte do edifício). O restaurante, liderado pelo chefe Filomeno Nogueira, inspira-se em petiscos tradicionais portuguesas e em tapas espanholas, tendo a particularidade de permitir aos clientes a aquisição de peixe, marisco e carne no mercado e, a troco de uma taxa de 4,50€ por pessoa, a equipa de cozinha propõe-se confecionar esses produtos que o cliente escolheu, a que se podem juntar outros complementos. O Bom Sucesso Gourmet firmou ainda uma parceria com o grupo 5 Jotas, particularmente conhecido pelo presunto pata negra.

Em matéria de vinhos, a carta lista 64 referências, quase exclusivamente portuguesas, estando mais de dezena e meia disponível a copo. Parte dessa oferta encontra-se também acessível no sistema enomatic. A carta está segmentada por espumantes, champanhes, vinhos brancos, rosés e tintos. Os vinhos têm indicação das castas, dos enólogos, da região de origem, grau alcoólico e se houve lugar a estágio em barrica. Além de referência incontornáveis, a carta tem alguns vinhos menos conhecidos do grande público. Os preços são sensatos e adequam-se ao conceito descontraído de todo o restaurante.

JJS | WINE - A Essência do Vinho