O brasileiro Marcelo Lima e o britânico Tony Smith, novos proprietários da Quinta da Covela, adquiriram  a Quinta da Boavista à Sogrape Vinhos, tendo a escritura sido realizada no passado dia 25, sem que o montante da operação tenha sido revelado.

 

“A Quinta de Covela tem vocação para fazer vinhos de excelente qualidade, mas queríamos uma quinta que complementasse este projeto na produção de vinhos tintos de topo. Procuramos no Douro durante dois anos, vimos 18 propriedades e a escolha recaiu na Quinta da Boavista, pelo potencial para produzir vinhos tintos de grande qualidade, pela excelente localização e singularidade histórica”, enfatiza o empresário brasileiro Marcelo Lima, na nota de imprensa que revela a aquisição. O mesmo documento relembra que a Quinta da Boavista integrou a primeira delimitação da região do Douro pelo Marquês de Pombal, em 1757, e que ali chegou a pernoitar o Barão de Forrester, figura central na história do Douro e do Vinho do Porto.

A propriedade, na margem direita do Douro, perto do Pinhão, possui cerca de 40 hectares de vinha, maioritariamente classificadas com letra A (a melhor designação para a produção de vinhos do Porto) e com as castas tradicionais da região: Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Barroca, Tinta Roriz, Tinto Cão, entre outras.

Redação | WINE - A Essência do Vinho