Até 31 de agosto, no Forte de Santa Maria da Arrábida, está patente uma exposição fotográfica intitulada "Portinho da Arrábida - 100 Anos de Memórias", que dá a conhecer a vivência da região e das pessoas que por ela passaram nos últimos 100 anos. A iniciativa, com entrada gratuita, partiu do Clube da Arrábida e do Parque Natural da Arrábida/Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), em cooperação com a José Maria da Fonseca e a Comissão Vitivinícola Regional da Península de Setúbal (CVRPS), motivados pela candidatura da Arrábida a Património Mundial da UNESCO, em fase de decisão final em Paris.

Já para sublinhar a memória vitivinícola da Arrábida, também ela secular, a CVRPS organizou, na passada semana, um jantar enogastronómico que aliou os vinhos da Península de Setúbal ao melhor da gastronomia da região. Para isso contou com a participação dos produtores José Maria da Fonseca, Adega de Pegões/Casa Ermelinda Freitas, Adega de Palmela, Quinta do Piloto e Quinta de Alcube, que inspiraram as criações do chefe Mário Pinheiro.

Para Henrique Soares, presidente da CVRPS, “esta é uma oportunidade, de certo modo, única de reviver o passado da região da Península de Setúbal, numa viagem fotográfica, com imagens nunca antes vistas". "Retornar até 1900, faz-nos recordar que também os vinhos fazem parte, de maneira muito evidente, do legado que nos foi deixado pelos nossos antepassados", acrescenta.


Redação | WINE-A Essência do Vinho