Por Nuno Guedes Vaz Pires, Diretor Executivo da revista WINE

Pela primeira vez, a revista WINE - A Essência do Vinho apresenta um conjunto de nomeados para os prémios que pretendem distinguir “Os Melhores do Ano” em 2013. O objetivo passa por conferir um justo reconhecimento a um conjunto mais abrangente de protagonistas nas áreas do vinho e da gastronomia, em Portugal.

A pré-seleção, que encontrará na edição em banca, é constituída por uma mescla de experiência e novos valores, isto por considerarmos que nas duas áreas existe uma saudável renovação geracional, que aporta novas ideias e abordagens, novos métodos e inovações. Mas num mundo de velocidade galopante, cheio de estereótipos, importa não perder a memória. Isso leva-nos a uma outra esfera, a do aplauso de carreiras intensas e prolongadas, muitas vezes interpretadas por figuras que raramente surgem sob os holofotes imediatos e mediáticos, mas cuja integridade e percurso falam por si.

Como em qualquer exercício do género, chegar a um leque de quatro nomeados por cada uma das 12 categorias que vamos destacar não foi tarefa fácil. Obriga a uma reflexão profunda, troca de pareceres entre vários membros da revista, consequente discussão e necessária decisão. Mais difícil se adivinha o trabalho que nas próximas semanas desenvolveremos, o de eleger o vencedor de cada categoria e preparar a cerimónia de entrega de prémios que, desta vez, representará também uma novidade.

Ao contrário do que temos feito até à data, a cerimónia de entrega de prémios aos “Melhores do Ano” da revista WINE não decorrerá durante o evento “Essência do Vinho - Porto” mas sim antes, já neste mês, na cidade do Porto, em data e local a anunciar em breve. Pretendemos com isso aumentar a notoriedade dos prémios e dos premiados, num momento de partilha com convidados, parceiros, amigos e, claro, vários protagonistas de duas áreas de destaque - vinho e gastronomia - no nosso país. Uma derradeira novidade é a nova categoria que criamos, a de “Personalidade do Ano no Brasil”, que destaca o trabalho meritório realizado em solo brasileiro, um dos mais importantes mercados para o vinho português.

Termino com outro sublinhado ao que de melhor vai sendo feito por Portugal e com reconhecimento além fronteiras. Em primeiro lugar, aos quatro vinhos portugueses que integram o “TOP 100” do ano 2013 da revista norte-americana “Wine Spectator”, por muitos considerada a bíblia dos vinhos. Entre mais de 20.000 vinhos de todo o mundo, a publicação decidiu realçar o Croft Vintage 2011 (97 pontos, na 13ª posição), Quinta do Passadouro tinto 2010 (37º), Quinta do Crasto Vinhas Velhas Reserva tinto 2010 (81º) e Graham’s Tawny 20 Anos (87º). Em segundo lugar, o apreço pela estrela Michelin conquistada pelo restaurante do projeto L’and Vineyards, em Montemor-o-Novo, Alentejo, em particular ao jovem e talentoso chefe Miguel Laffan; bem como à reconquista da estrela pelo lisboeta Eleven, com o chefe Joachim Koerper. E, claro, a todos os que conseguiram manter-se no universo estrelado Michelin. Já agora, senhores do guia vermelho, para quando o realce, com estrela, de alguns dos mais brilhantes restaurantes portugueses de matriz tradicional? Se o fazem em Espanha…

 

WINE-A Essência do Vinho