Há dois anos lançou, em São Paulo, a Tasca da Esquina, conceito que já tinha criado em Lisboa. Agora, com aquela unidade a faturar três vezes mais do que as duas que possuiu na capital portuguesa e o interesse de investidores externos, Vítor Sobral decide abrir novos espaços no Brasil e em Angola, revelou o chefe ao "Dinheiro Vivo".

João Pessoa e Luanda são os destinos eleitos por Vítor Sobral para a expansão do conceito, que nesta última cidade, por questões culturais, vai denominar-se Kitanga da Esquina. Mas, garante, há já outros projetos em análise, nomeadamente em São Paulo, além do interesse na marca manifestado por investidores da China, Macau, Los Angeles e Nova Iorque.

O investimento em Portugal para as duas casas foi de aproximadamente um milhão de euros e em São Paulo foi de cerca de 750 mil euros, o mesmo que para os novos investimentos mas que contam com financiamentos externos ao grupo Aromateca, que gere as marcas do chefe. De qualquer modo, Sobral promete levar o nome de Portugal para onde quer que vá, fazendo-se sempre acompanhar por toda uma equipa portuguesa, desde arquitetos e decoradores ao serviço de cozinha e de sala, e pelos produtos azeite Oliveira da Serra, bacalhau Norge, vinhos Paulo Laureano e utensílios de cozinha Silampos.

 

Redação | WINE - A Essência do Vinho