A destilaria escocesa Dalmore elegeu a Vista Alegre Atlantis para a produção dos três frascos de cristal que contêm o mais raro e mais caro whisky do mundo, o Dalmore Trinitas 64. O malte resulta da combinação única de vintages espirituosos das colheitas de 1868, 1878, 1926 e 1939, ao qual foi ainda adicionado um toque final com o vintage de 1940 e cujo preço de venda ao público ronda os 145 mil euros, numa edição limitada a apenas três exemplares.

A pureza e a qualidade do cristal português produzido pela Vista Alegre Atlantis terão conquistado a confiança da Dalmore, que entregou posteriormente à sua responsabilidade a produção dos 200 frascos de edição limitada do whisky Dalmore Aurora 45, um malte raro da colheita de 1964, cujo preço de venda ascende aos seis mil euros.

“O cristal português da Vista Alegre Atlantis é reconhecido internacionalmente como um dos mais puros e cristalinos do mundo. Os portugueses podem não ter a noção disto, mas somos um player destacado no mercado exterior no setor do cristal", refere Nuno Barra, diretor de marketing e design externo da Vista Alegre Atlantis, que destaca ainda o "saber ancestral dos mestres vidreiros, incansáveis na procura da perfeição dos produtos que esculpem manualmente".

 

Redação | WINE-A Essência do Vinho