A Lima Smith, que produz vinhos em três quintas situadas nas margens do rio Douro - Covela, Boavista e Tecedeiras -, expandiu o negócio para a Borgonha. Os proprietários da empresa, o brasileiro Marcelo Lima e o britânico Tony Smith, adquiriram uma posição na Maison Champy, o mais antigo négociant da região

Fundada em 1720, a Champy possui hoje um portefólio de vinhos renomados como os Grands Crus e Premiers Cru de Mersault e Montrachet. A maioria das vinhas Champy estão localizados na Côte de Beaune, sendo a marca controlada por Pierre Beuchet, que também é o principal acionista da D.I.V.A., uma rede de distribuição internacional de vinhos presentes num  vasto número de mercados, incluindo EUA, França, Espanha, China e Japão. Beuchet e Lima conheceram-se em São Paulo e logo sentiram uma afinidade pessoal e profissional. Desta empatia e também da apreciação positiva dos vinhos Covela, surgiu o convite de Beuchet a Lima, para este se juntar como parceiro na Champy.

"Nós temos uma paixão pelo melhor no vinho e, depois de termos sido premiados pelo nosso trabalho em Covela, com a prestigiada distinção Viticultura 2013, direcionamo-nos para França e Borgonha.", refere Marcelo Lima.Por sua vez, Beuchet confessa ter ficado "impressionado não só com o currículo de negócios do Marcelo, mas também com a sua paixão pelo vinho e com o respeito que demonstra pelo espírito e terroir da Borgonha. Mas talvez o mais marcante tenha sido o facto de um empresário do Novo Mundo estar tão entusiasmado em investir numa casa com 300 anos de idade".

 

Redação | WINE-A Essência do Vinho