A Ministra da Agricultura, Assunção Cristas, vai presidir no próximo dia 5 de setembro à apresentação do projeto de requalificação das antigas instalações da adega de Nelas, onde atualmente funciona o centro produtivo da distribuidora de vinhos Lusovini.

O contrato firmado entre a Lusovini e o IFAP (Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas) estipula a disponibilização de uma verba de 2,5 milhões de euros ao abrigo dos fundos europeus do PRODER. “Quando o investimento estiver executado, estas serão uma das maiores e mais modernas instalações vinícolas do Dão”, garante Casimiro Gomes, presidente da Lusovini, que assim comenta o projeto de requalificação de uma estrutura que tem hoje mais de 60 anos.

Um dia volvido, durante a “Feira do Vinho do Dão”, que decorrerá em Nelas, a Lusovini vai lançar o vinho branco Varanda da Serra. Elaborado pela enóloga Sónia Martins e com viticultura tratada por João Paulo Gouveia, trata-se de um branco à base da casta Encruzado (80%), num lote de vinhas velhas que também possui Malvasia Fina, Cerceal Branco e Bical. É um vinho raro, apenas engarrafado em magnuns de 1,5 litros e de escassas 3.000 garrafas, todas numeradas. Foi elaborado na colheita de 2013, mas promete evoluir durante vários anos, fazendo jus aos grandes exemplares de vinhos brancos da região, que conseguiram resistir a décadas.

A Lusovini representa mais de 70 marcas de vinho no mundo, a esmagadora maioria elaborada em parceria com conceituados produtores e enólogos portugueses. Em 2013 aumentou o volume de negócios em 20%, duplicando ainda os resultados operacionais consolidados por comparação com 2012. Os mercados externos – Angola, Brasil e Europa do Norte – traduzem 70% da faturação.

 

Redação | WINE - A Essência do Vinho