No mundo do vinho era conhecida como a baronesa de Rothschild, mas com o nome artístico de Philippine Pascal foi atriz entre os anos 50 e 80, tendo abdicado do teatro para liderar o negócio de família quando o pai morreu, em 1988. Este fim de semana, Bordéus acordou com o sobressalto de nova notícia, a da morte de Philippine de Rothschild, aos 80 anos.

Se no percurso artístico contracenou com nomes como Catherine Deneuve, no vinho foi responsável pela renovação e aumento de notoriedade dos vinhos do Château Mouton Rothschild, que liderava com os filhos Camille, Philippe e Julien. Personalidade muito respeitada e acarinhada na França, com sentido de humor apurado, a baronesa conferiu um glamour acrescido à propriedade de família, tendo sublinhado a componente artística de elaboração de rótulos por grandes artistas plásticos mundiais e conseguido aliar design e inovação na adega e caves de estágio de Mouton, um dos locais mais  ambicionados por quem pretende realizar um tour pelos melhores châteaux bordaleses. Era ainda proprietária do Château d'Armaillhac e do Château Clerc Milon.

O vinho perde uma protagonista maior.

 

Redação | WINE - A Essência do Vinho