Os Vinhos do Alentejo preparam-se para realizar mais três provas anuais no Brasil, um dos mais relevantes mercados de importação de vinhos daquela que é também a região preferida dos consumidores portugueses. Belo Horizonte (dia 8), Rio de Janeiro (dia 11) e São Paulo (dia 15) vão receber os mais recentes lançamentos de duas dezenas de vinícolas de referência.

O périplo inicia-se já na segunda-feira, 8 de setembro, em Belo Horizonte (BH), no Mercure Lourdes Hotel. Das 15h às 20h, os convidados poderão contactar com os produtores representados no evento, estando ainda programadas duas provas temáticas sob orientação do prestigiado crítico de vinhos português Rui Falcão, uma dedicada à “Arte do Corte”, das 16h às 17h, reservada à participação da Imprensa de BH, e outra, “Alicante Bouschet, a uva rainha do Alentejo”, das 18h às 19h, disponível à inscrição de enófilos.

Dia 11 de setembro, o Rio de Janeiro. No mesmo horário, 15h-20h, no Hotel Windsor Atlântica será proporcionada a rara oportunidade de contacto direto com vários produtores, enólogos e representantes de marcas emblemáticas de vinhos alentejanos. Das 16h às 17h, jornalistas e bloguistas sobre vinhos poderão participar na prova temática “Arte do Corte”, com Rui Falcão, e das 18h às 19h convidam-se os enófilos mais curiosos a descobrir “As Uvas Tradicionais no Alentejo”.

Igual formato será realizado em São Paulo, no próximo dia 15 de setembro, no hotel Intercontinental. Tal como acontece nas duas ocasiões precedentes, a prova geral, das 15h às 20h, terá como alvo jornalistas, bloguista e formadores de opinião, bem como trade, enófilos e consumidores de vinhos no Brasil. Rui Falcão orientará as duas provas temáticas que procuram pormenorizar detalhes que fazem a diferença na produção dos vinhos alentejanos.

De referir que estas provas anuais contam a participação da Adega de Borba, Cartuxa – Fundação Eugénio de Almeida, Casa Agrícola HMR – Vidigueira Wine Lands, Cortes de Cima, Enoforum – Carmim Group, Ervideira, Dona Maria – Júlio Bastos, Herdade da Ajuda Nova, Herdade dos Coelheiros, Herdade do Esporão, Herdade do Mouchão, Herdade do Peso, J. Portugal Ramos, Monte da Capela, Outeiro de São Romão, Paulo Laureano Vinus, Quinta do Zambujeiro, Roquevale, Santa Vitória e Tapada do Fidalgo.

A inscrição nas provas é gratuita mas sujeita a reserva obrigatória online, através do endereço http://cadastro.vinhosdoalentejo.pt

 

Alentejo eleita a melhor região 

vinícola do mundo para visitar

 

A fama da região do Alentejo não conhece fronteiras. O jornal norte-americano “USA Today”, elegeu o Alentejo como a melhor região vinícola do mundo para visitar. “Esta intrigante região rural é como uma viagem de volta no tempo para os amantes do vinho”, escreve. “O terreno diverso detém olivais e vinhas, aldeias pitorescas, prados cheios de flores e florestas”, continua o jornal, um dos que possui maior circulação nos Estados Unidos.

A eleição decorreu no sítio 10Best.com e na secção de viagens do jornal.  Kerry Woorlard e Frank Pulice, dois especialistas em vinho, pré-selecionaram 20 candidatos, em que o Alentejo era o único representante português. No “top 5” ficaram ainda as regiões de Okagan Valley (Canadá), Maipo (Chile), Marlborough (Nova Zelândia) e Croácia. Borgonha (França), Champagne (França), Rioja (Espanha) e Piamonte (Itália) constavam ainda dos pré-selecionados.

“É uma distinção importante para o Alentejo e para Portugal, que tem impacto muito positivo no potencial de notoriedade que a região pode obter nos mercados internacionais”, refere Dora Simões, presidente da Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA). No caso específico do Brasil, em 2013 foram importados 2 milhões e 618 mil litros de vinhos alentejanos, o que representou um acréscimo de 12% em relação ao ano anterior. Por isso, a CVR Alentejana, que promove este conjunto de ações, continua muito focada em conquistar novos consumidores no mercado brasileiro. “O Brasil identifica-se bastante com os vinhos do Alentejo. Os produtores alentejanos têm efetuado um trabalho muito meritório, não apenas ao nível dos processos de produção como em matéria de imagem, marketing e conquista de novos mercados. A CVR Alentejana tem de apoiar e promover esse esforço, comunicando cada vez melhor o que diferencia os vinhos alentejanos de todos os demais. Muitos no Brasil já o perceberam, mas queremos levar essa mensagem a mais e mais consumidores”, complementa Dora Simões.

Redação | WINE - A Essência do Vinho